quarta-feira, 31 de julho de 2013

Ninguém faz nada sozinho. 
Para se fazer uma simples caneta é preciso uma empresa que fabrique o plástico, uma outra que desenvolva a tinta, uma terceira que junte os materiais e dê seu formato, que para isso precisou de máquinas feitas pela quarta empresa, que precisou de aço de uma quinta e etc. Se eu fizesse sozinho uma caneta, daria tanto trabalho e levaria tanto tempo, que ela precisaria custar uma fortuna para pagar minimamente todo o trabalho. Mas se uma equipe de cem funcionários fizerem cem canetas, cada um fazendo uma pequena parte do processo, uma dessas canetas não terá o mesmo custo da primeira, feita artesanalmente. O valor que uma dessas canetas tem para cada funcionário torna-se agora mais intangível, relativo. 
E ainda tem o funcionário que só pois a caneta na caixa, e outro que pensa que a inventou...
Como próprio das empresas essa diluição dos valores...

Estamos todos diluídos nos produtos.

Nenhum comentário: